Canadá MInhas Viagens Montreal

Um passeio por Vieux-Montréal, a parte histórica da cidade

Vieux-Montreal centro antigo
No post de hoje eu conto como foi o nosso passeio a pé por Vieux-Montréal, o centro velho da cidade e um dos destinos mais frequentados pelos turistas.

Tivemos a oportunidade de fazer um tour de carro com a nossa guia, durante um dia de semana, mas voltamos a pé durante o fim de semana para apreciar melhor a região e conhecer mais desta parte histórica. Quem quiser pode fazer um tour virtual aqui no site de Vieux-Montréal

Este foi um dos dias que mais andamos na cidade. Era fim de semana e resolvemos andar até aguentar, nada de museus, nada de horários com compromissos, só caminhada. Mas para deixar a coisa mais informativa, fiz um mapinha da parte do centro velho de Montréal e um dos percursos que fizemos no dia.

Agora vamos ao nosso passeio com fotos e links dos pontos principais…

montreal champ-de-Mars

Pegamos um metro perto do nosso hotel (mostrei aqui) e descemos na estação Champ-de-Mars e fomos até a praça com o mesmo nome. Aliás, foi bem tranquilo andar de metrô em Montreal.

Visualizar o skyline com os novíssimos prédios. Nesta área podemos observar bem a nova com a parte antiga de Montréal.

montreal_Hotel_de_Ville

Passamos pelo prédio da prefeitura, o Hôtel de Ville de Montreal que é a prefeitura da cidade. O prédio foi construído entre 1872 e 1878, depois reconstruída após um incêndio em 1926

O prédio é muito bonito e vimos 3 noivas fotografando ao redor dos prédios da Champ-de-Mars.

montreal chateau ramezay

Depois passamos em frente ao Château Ramez, edifício de 1705 construído pelo então governador de Montreal, Claude de Ramezay, e que já recebeu figuras importantíssimas da história como Benjamin Franklin. O museu é um dos locais citados em “1001 Historic Sites You Must See Before You Die” ou seja, um dos 1.001 locais históricos que você deve ver antes de morrer.

Aliás, na área há vários outros museus: O Montréal Science Centre, o Centre d’histoire de Montréal, o Sir-George-Étienne-Cartier National Historic Site of Canada, o La Maison de Mère d’Youville, o Bank of Montréal Museum,  o Marguerite-Bourgeoys Museum e o Pointe-à-Callière, Montréal Museum of Archaeology and History que foi a nossa última parada antes de seguir para a catedral.

montreal place jacques cartier

Descemos a Place Jacques Cartier, que é o calçadão. Como era início da primavera o clima já estava ameno, as ruas estavam lotadas e haviam algumas apresentações artísticas. No espaço há lojinhas, sorveteria, restaurantes e vários barzinhos. Lá também há um Cabane à Sucre, com docinhos locais e aqueles pirulitos de maple que eu já falei várias vezes.

Depois entramos para conhecer o Marchê Bonsecours, que hoje é utilizado como um shopping com lojinhas para turistas. O prédio em si é maravilhoso e vale a vista.

montreal marche bonsecoursMas, sinceramente, não gostamos nada na parte interna. Estava meio sujo, lotado e com “lojinhas” turísticas com coisas caras. Havia uma lojinha com artigos comestíveis locais que parecia interessante, mas não compramos nada. Também há alguns cafés e restaurantes.

O local abriga eventos e exposições e talvez seja mais interessante nestas ocasiões. No site oficial você poderá encontrar a agenda.

Vieux-Montreal_museu_moda

No andar de baixo está o Musée du costume et du textile du Québec, um pequeno museu de moda com acervo próprio e exposições itinerantes. A parte mais legal do museu, na minha opinião, foi a exposição de luvas de época, que fica na parte gratuita, logo na entrada.

Vieux port montreal

Por ali também fica o Vieux Port de Montreal. No verão há várias atividades de lazer na região. A foto acima fizemos no dia do tour de carro, mas não chegamos a fazer nenhuma atividade. No site há mais informações.

rue saint paul montreal

Depois seguimos caminhando pela Rue Saint Paul e parecia que estávamos em outro continente, tamanha a particularidade do local. Antigo, preservado, escuro, devido às construções de pedras e frio, como se estivéssemos além de outro país, também em outro século. Estranho, mas maravilhoso.

A rua é cheia de restaurantes, lojinhas e antiquários. Andamos mais de 2 km só nesta rua, observando casa construção, cada travessa, cada lojinha. É uma região bem interessante para quem gosta de história antiga.

Quando fomos para a cidade velha, nós já tínhamos almoçado (infelizmente), pois o local tem várias opções de restaurantes. De acordo com o que vimos nas indicações do TripAdvisor, há tanto restaurantes turísticos, e que não valem a pena, como locais incríveis com reserva obrigatória.

montreal centro antigo

Descemos e fomos caminhar na Promenade Du Vieux-Port para seguir até o museu de arqueologia. De lá podemos avistar o famoso projeto arquitetônico Habitat 67 de Moshe Sadie.

montreal habitat 67

Um edifício construído com 357 módulos de cor única, empilhados que formam 148 apartamentos geométricos e caros (sim, bem caros). De longe mais parece um emaranhado de casas populares ou como disse o marido, é uma favela de luxo, mas sem dúvida foi uma revolução na época. Não tivemos a oportunidade de conhecê-lo de perto, mas entre as “caixas” há ruas, terraços e parece super interessante.

Abaixo tem um vídeo bacana com este e outros projetos do arquiteto.

Depois fizemos uma paradinha no museu Pointe-à-Callière, Montréal Museum of Archaeology and History  um prédio lindo que fica na área onde a cidade foi fundada. Infelizmente só faltava 20 minutos para encerrarem as atividades do dia, então não conseguimos visitar. No site vocês poderão conferir os horários e exposições, além de ver um vídeo super bacana falando sobre a cidade,  a construção do museu e as descobertas arqueológicas na área.

Pointe-a-Calliere Montreal

Subimos em direção a Basílica de Notre Dame para dar outra uma olhadinha e ouvir o órgão mais uma vez. É lindo demais! Já tínhamos entrado na catedral com a nossa guia, mas eu queria dar mais uma olhadinha. A igreja é espetacular. E a capela dentro da igreja é maravilhosa, tem estilo totalmente diferente. Aliás, foi na capela que a Celine Dion se casou.

Vimos que há tours lá dentro para falar mais sobre a construção da igreja, mas não fizemos nenhum.

Depois farei post com as 3 grandes igrejas de Montreal (me senti na Europa 😉 )

montreal notre dame

Depois passamos para conhecer o Montreal Convention Centre, o prédio mais colorido da cidade, que uns amam e outros odeiam. Demos uma olhadinha por dentro no  Commercial Mall e fomos conhecer as tais passagens subterrâneas que ligam vários prédios importantes. Estava um frio danado lá fora, mas demoramos tanto nas tais passagens que se não fosse a curiosidade, o lado de fora teria nos economizado uma hora pelo menos..rs. Mas valeu a brincadeira.

Montreal Convention Centre

Só neste percurso foram mais de 4 km e umas 4 horas de passeio com direito a paradinha para um chazinho. Claro que ninguém precisa andar o tanto que nós e concentrar a caminhada no centro velho e tal, mas nós amamos andar em viagens e conhecer ruas comuns entre um ponto de interesse e outro.

Em breve voltaremos com mais passeios de Montreal, mas enquanto isso tem muitos post da nossa viagem que já estão no ar.

Informações sobre a região velha de Montréal: vieux.montreal.qc.ca

O Spicy Vanilla esteve em Montreal a convite de Tourism Montreal

Você também pode gostar...

2 Comments

  • Bóia
    03/08/2015 at 16:48

    Oi, Cinthia. Tudo bem? 🙂

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

  • Cinthia Ferreira
    03/08/2015 at 16:52

    Obrigada Natalie 😉
    bjs

Comente aqui

Translate »