• #CinthiaNaCozinha | Receitas Doces e salgadas com passo a passo

    Para facilitar a busca de todos, resolvi fazer este post com todas as receitas que foram postadas aqui no Spicy Vanilla. São receitas doces, salgadas e deliciosas. Fotos do passo a passo para ajudar até quem não ainda não tem muita experiência na cozinha. Gire a barra de rolagem e...

    Leia mais...
  • 10 itens para não esquecer na hora de planejar o orçamento da sua viagem

    Pois é pessoal, aproveitei um dos meus 30 dias em Buenos Aires e gravei um vídeo reunindo dicas que muita gente me pede. Falei sobre os 10 itens que você não deve esquecer na hora de planejar o orçamento da sua viagem. No vídeo eu comentei um pouco sobre cada...

    Leia mais...
  • Vídeo | Dicas para fazer compras nos outlets dos Estados Unidos

    Por mais que eu fale de roteiros, passeios e comidinhas, o que mais me pedem são dicas de compras. Então separei umas horinhas desta última viagem para falar sobre os famosos outlets dos Estados Unidos e dar algumas dicas úteis. Há uns 15 anos visitei meu primeiro outlet nos Estados...

    Leia mais...
Postado por Cinthia Ferreira em 05-out-2016

Saída fotográfica no bairro da Liberdade em São Paulo

Brasil, Cultura, Imagens, Posts de Danilo Pericoli, São Paulo

Mais um artigo escrito pelo nosso colunista e fotógrafo Danilo Pericoli. Danilo é professor de fotografia e promove passeios fotográficos por São Paulo, apresentando novos cenários com aulas e dicas para quem ama e quer aprender a fotografar.

Este é mais um post da série sobre a experiência de ver e clicar São Paulo pelo olhar da fotografia urbana. E você está convidado, mais uma vez, a participar de uma saída fotográfica comigo, desta vez por um dos bairros mais exóticos da cidade, num roteiro recheado de exercícios práticos.

O passeio será uma oportunidade para você ampliar a sua sensibilidade e experimentar São Paulo de uma maneira única. E se você já participou das saídas anteriores, poderá aprender ainda mais nesta, pois a cada aula estudamos um novo conteúdo.

liberdade_danilo_pericoli_1

A Liberdade é um bairro muito tradicional de São Paulo, conhecido pela grande presença oriental, como japoneses, chineses e coreanos.

Quem desce na estação de metrô que leva o nome do bairro, na linha norte sul já se depara, logo de cara, com a arquitetura típica do Japão, em fachadas de lojas, bancos e nas inúmeras lanternas espalhadas pelas principais ruas do bairro e que já nos convida a fazer um aquecimento com os primeiros cliques.

Também, na Praça da Liberdade, pode-se aproveitar para fazer compras, comer ou simplesmente fotografar a feirinha de artesanato que acontece todo sábado e domingo na região. Este e também a esquina da Rua Galvão Bueno com a Rua dos Estudantes, são pontos de intenso movimento, onde a profusão de barraquinhas, com inúmeros artigos e pessoas criam o cenário perfeito para se fazer fotos do tipo “Street Photography”, ou Fotografia de Rua: Neste gênero, o importante é captar o momento, uma ação, a expressão de alguém, que pode ser um vendedor ocupado atendendo a um cliente ou lendo um jornal em japonês, um pedestre distraído ou um tipo conversando dentro de um café, cuja imagem não se compreende de imediato por conta dos inúmeros reflexos nas vitrines dos cafés.

liberdade_danilo_pericoli_2

Deixando a praça, seguindo ao longo da Rua Galvão Bueno, mini mercados com produtos japoneses, talvez muito raros de se achar em outros bairros, dividem o espaço, dos dois lados, com lojas de bijuterias, eletrônicos, estacionamentos, casas de massagem, barracas de camelôs e músicos de rua cantando sob muros com grafites e cartazes exibindo de figuras de dragões a imagens de gueixas, que nos lembram bem onde estamos. E vale encarar a multidão desenfreada que não para e nem quer saber quem somos e o que buscamos ali, só para encontrar um canto, ajustar a câmera e aguardar que aquele já falado grande momento, em que algo inusitado capta nossos olhos e corações, apareça no visor e seja levado como recompensa pela espera.

liberdade_danilo_pericoli_3

Continuando o passeio pelas ruas transversais, um pulo na pequena Rua Tomás Gonzaga é ideal se deseja fazer uma pausa para saborear a tradicional comida japonesa. Lá será também o ponto de partida para a saída fotográfica que faremos com a Sabiar, no TK Taverna e Kaffe.

Haverá uma aula, em que estudaremos trabalhos relevantes de fotografia urbana, enquanto saboreamos uma cerveja importada ou tomamos um café, para em seguida colocar em prática nas ruas o que aprendemos.

liberdade_danilo_pericoli_5

Para finalizar, quem visita o bairro em busca de fotografias de arquitetura, de estilos variados, pode ir à Igreja de Santa Cruz das Almas dos Enforcados, na Avenida da Liberdade e ao Beco dos Aflitos, próximo à Rua dos Estudantes, que abriga uma antiga capelinha do século XVIII; Ambas são prova do sincretismo religioso do bairro. Já o viaduto Shuhei Uetsaka é o lugar de onde se pode apreciar uma vista especial da cidade, sobretudo na direção da zona leste de São Paulo. É uma ótima oportunidade para fotografias panorâmica. E para os que já dominam a técnica, imagens em longa exposição da ligação leste oeste borram os carros e conferem um belo efeito gráfico, juntamente com os grafites dos muros da avenida.

liberdade_danilo_pericoli_4

Informações:

Saída Fotográfica na Liberdade – O encontro inclui uma aula teórica, passeio fotográfico, com exercícios práticos, informações sobre os locais visitados, apostila eletrônica em PDF com o conteúdo visto em aula, acesso ao grupo fechado do Facebook, para feedback sobre os trabalhos realizados pelos alunos em aula.

O que não está incluído: Câmera fotográfica – cada um deverá levar a sua própria câmera (pode ser qualquer câmera, inclusive celular), estacionamento e consumo no café.

Dia 29 de outubro, das 13h30 às 16h30.
Ponto de encontro: TK Taverna e Kaffe. Rua Tomás Gonzaga, 28A. Liberdade, São Paulo.

Inscrições aqui no site da Sabiar.

assinatura_danilo




Postado por Cinthia Ferreira em 17-nov-2015

Alemanha | Passes turísticos em Berlim

Alemanha, Berlim, Europa, MInhas Viagens, Turismo

berlin-welcome-card

Já falei sobre nosso hotel em Berlim aqui, sobre o primeiro tour que fizemos aqui e hoje eu falo sobre os passes de transportes que nós usamos na cidade.

Nós ficamos 6 dias na cidade, recebemos o Berlin WelcomeCard de 5 dias e o Museum Pass de 3 dias e vou falar como funciona cada um. Este tipo de passe que vários países da Europa disponibilizam são bem interessantes, pois o turista pode andar de transporte público quantas vezes forem necessários durante os dias válidos em cada passe sem se preocupar em comprar mais passagens ou gastar mais.

berlim-transporte

Antes de mais nada falo um pouco de como funciona o transporte público na Alemanha.

Diferente de todos os países que eu conheço. Na Alemanha não há catracas em metros, trem e ônibus. É até estranho, pois a primeira vez que o marido visitou o país, há mais de 10 anos, ele disse que não sabia nem onde comprar o bilhete, já que o guichê local estava fechado.

Ninguém confere nada há não ser que um fiscal lhe pare e peça para ver o seu ticket.  Mas isso não indica que você não precisa de bilhete, mas sim que os moradores são pessoas educadas e que não precisam deste tipo de obrigatoriedade para cumprir o seu dever de pagar por suas passagens. Mas nós sabemos que sempre há pessoas que aproveitam da situação e não compram (ou validam) seu bilhete e se esta pessoa for pega, a multa que ela terá que pagar não ser nenhum pouco amiga. Nós vimos uma mulher espertinha sendo parada e ter que pagar a multa dentro do próprio trem.

O correto é sempre comprar seu bilhete (seja o passe comum ou o turístico), validá-lo, em uma das maquinas da estação ou do trem, no ato do primeiro embarque e andar sempre com o bilhete na carteira. As máquinas são facilmente encontradas e é só enfiar o ticket para carimbar.

Bom, mas vamos ao primeiro passe, o Berlim WelcomeCard…

berlim-card

O Berlim WelcomeCard é um cartão que dá direito ao transporte público por um período determinado, dá alguns descontos em atrações ou pode incluir também a entrada em museus. Vem com um mini guia com as atrações e os descontos para várias atrações da cidade (inclusive o Park Sanssouci em Potsdam).

Há o cartão válido em Berlim (AB) e o que é válido também para a cidade de Potsdam (ABC). A dica aqui já é: separe um dia para Potsdam pois o passeio é maravilhoso e vale muito a pena. Em breve farei post sobre.

  • Zona tarifaria Berlin AB: município de Berlin (incluindo o aeroporto Tegel), válido para um adulto (a partir de 2016, também para até 3 crianças entre 6 e 14 anos)
  • Zona tarifaria Berlin ABC: Berlin e Potsdam (incluindo aeroporto de Schönefeld), válido para um adulto e hasta o 3 crianças de entre 6 e 14 anos (menores de 6 anos não pagam)

Você compra o cartão em um dos pontos de vendas (tem no aeroporto, nas estações) ou direto no site. Na primeira viagem é só validar o passe, como eu contei acima, e seguir viagem. Nas próximas viagens você não precisará validar e nem mostrar a ninguém, só se um fiscal pedir.

Você poderá andar nos trens ou ônibus quantas vezes desejar. E como Berlim é uma cidade grande com atrações distantes umas das outras, o transporte será fundamental, a não ser que você alugue uma bike. Eu indico algumas viagens de ônibus quando você não estiver com pressa, assim você já vai conhecendo a cidade enquanto anda de um ponto a outro. Nós usávamos o google maps no celular e com isso sabíamos direitinho que ônibus pegar e onde ficava cada ponto.

O cartão mais caro é o que dá direito a entrada em museus. Então serve para 3 dias e mais as entradas na ilha dos museus.

museum-pass-berlin
Agora se você pretende ficar mais dias na cidade, mas quer visitar mais de 3 museus, a opção é o Museum Pass Berlin (pdf do guia em Alemão). São 3 dias para visitar os melhores museus da cidade.

Meu preferido foi o Pergamon Museum, mas não dava para ir até Berlim e não visitar a Nefertiti no Neues Museum. Visitamos apenas mais dois museus, mas com certeza voltaremos a Berlim em outra oportunidade.

Veja bem os dias que você ficará na cidade, o tipo de passeio que quer fazer e as áreas que pretende visitar. Fazer a conta direitinho será ótimo para economizar o máximo possível em tempos de Real desvalorizado né ?
.

O Spicy Vanilla fez o tour a convite de VisitBerlin

 




Postado por Cinthia Ferreira em 15-jul-2014

#CinthiaNaCozinha | Meus preferidos para o brunch ou chá da tarde em casa

doces, Gastronomia, Receitas

cha_da_tarde_casaPagando mais uma dívida com vocês leitores, hoje falarei das minhas descobertas do ano para montar um delicioso brunch ou chá da tarde, digno de um chef. Doce, salgados ou tudo misturado, do jeito que eu gosto.

Receitas super simples que são muito mais saborosas e saudáveis do que abrir um pacote de bolacha ou se jogar no fast food

pao_integral_levain

Vamos começar pelo artista principal dos meus brunchs, chás da tarde e muitas vezes, até meu jantar. O pão integral orgânico.

Desde que a padaria Le Pain Quotidien (fiz post aqui) abriu sua primeira unidade aqui em São Paulo, eu amo as tartines servidas no local e sou apaixonada pelo pão integral orgânico deles. Mas se antes eu sempre comia por lá e acabava comprando mais as pastas de chocolate (que estão em falta há séculos por sinal), este anos eu acabei trazendo a padaria para dentro de casa e, pelo menos a cada 15 dias, estou eu lá comprando um pão inteiro para trazer para minha casa.

O que eu mais gosto é o integral levain (aquele fermento natural e artesanal que dá um gostinho único e especial ao pão). Compro sempre o pão inteiro e peço para fatiarem.

Chegando em casa eu separo as fatias em saquinhos e levo ao freezer. Quando vamos comer, tiramos do freezer, colocamos no grill e pronto…parece que foi feito na hora.

grill_arno

Deixo descongelar no próprio grill sem nada. Quando o miolo fica macio e crocante, é hora de colocar a cobertura desejada e aproveitar muito.

Super prático, delicioso e muito mais saudável do que estes pães integrais de mercado.

cha_da_tarde_dicasAgora as delícias para acompanhar o pão. Estes 3 também foram minhas descobertas deste ano e são vício total. Geléias da Mathilda, creme de avelã Nocciolata e queijo de cabra com mel da Merci Chef.

Não vamos dizer que são coberturas baratas (giram em torno de 18 reais cada), mas são deliciosas, incríveis e transformam um lanchinho simples em uma explosão de sabor..

creme_avela_organicoVou começar pela Nocciolata, um creme de cacao e avelã italiano que eu encontrei pela primeira vez no setor de orgânicos do mercado St Marché e foi paixão instantânea.

É mais saborosa e menos doce que Nutella, tem ingredientes orgânicos e é super cremosa. No site da Nocciolata tem receitas bem interessantes que graças a pesquisa para este post, fui olhar e já estou com vontade hahaha.

Compro no St Marche ou na Casa Santa Luzia aqui em Sampa. Se alguém souber de algum outro lugar que venda, avise nos comentários.

nocciolata

Minha forma preferida de comer é por cima do pão já grelhadinho e coberto com morangos fatiados. Rápido fácil e delicioso. Impossível resistir.

Troco muita sobremesa complicada por aí por uma fatia deste.

geleias_mathildaA geléia Mathilda foi outra descoberta incrível. Sempre via o produto no St Marche e na padaria Marie Madelaine, mas foi depois que eu fiz por acaso um curso de geléias com a dona da marca é que fiquei encantada com a exclusividade do produto e comecei comprar para experimentar.

A Mathilda é uma empresa artesanal aqui de SP que usa a técnica original francesa com açúcar e ingredientes naturais na confecção dos sabores. No curso ela mostrou a quantidade de frutas que ela usa em cada sabor e a mistura de frutas perfeitas para não precisar nem de pectina que não seja a das próprias frutas. Tão diferente das coisas cheias de conservantes que vemos por aí.

Minha primeira paixão foi a de Maçã e vanilla, que é uma gelée, ou seja, é bem líquida e sem pedaços de frutas. O sabor é perfeito e as sementinhas naturais da vanilla dão um toque a mais. Este era o sabor que eu mais comprava e como no mercado a variedade era pouca, só fiquei encantada depois de entrar no site da marca e ficar louca com a variedade.

cha_da_tarde_confiture_mathilda

Agora a segunda paixão é recente. Um dia liguei na empresa para falar sobre uma geléia, comentei sobre a minha empolgação com a marca, e a fofa da Laetitia, criadora da Mathilda, disse que eu tinha que experimentar a de Damasco com amêndoas e me mandou para testar. Incrível… depois que você experimentar uma geléia natural e artesanal, aquelas industrializadas perdem totalmente a graça. Sério… não dá para comparar o sabor.

Esta de damasco e amêndoas é uma confiture, ou seja, uma geléia mais densa com pedaços de frutas. Esta tem muitas frutas, lâminas de amêndoas e um toque de limão. Um doce com um leve azedinho que é absurdamente delicioso.

Como eu disse, já comprei algumas no mercado St Marche, na padaria (que é deliciosa) Marie Madeleine e semana passada além de ganhar 3 sabores da marca, descobri que ela vende direto no site  Doce Mathilda e que, além de ser um pouquinho mais em conta do que eu pagava, tem mais sabores (mas no site só vende a partir de 5 potinhos). Lá no site também tem os outros pontos de venda.

tartine_brie_damasco

Na própria embalagem da geléia está a sugestão de consumí-la com queijo brie e foi o que eu fiz até ver o fundo do potinho. Fiz várias tartines com a dupla e fica divino.

Coloco o pão no grill, espero ficar levemente tostado, coloco a geléia e fatias do brie levemente derretido previamente no microondas. Ou se estou com o forno ligado, coloco a tartine lá dentro até o queijo derreter levemente. A combinação de sabores não poderia ser melhor.

queijo_cabra_melAgora depois de vários doces, hora de falar de uma descoberta salgada…. quer dizer, nem tanto rs.

Sou louca por queijo de cabra há muito tempo. Amo queijo feta, mas gosto de quase todos os queijos de cabra que tem. O sabor mais pronunciado me agrada muito.

Uma vez vi esta versão do queijo francês Merci Chef! com mel e arrisquei. Gente, é divino.

O toque de mel é leve e combina perfeitamente com o azedinho salgado do queijo.  Pena que ele é tão pequeno e caro, pois eu comeria todos os dias rs.

queijo_cabra

Uma das minhas tartines preferidas com ele é simples e especial. Mais uma vez levo o pão no grill para ficar levemente crocante, coloco o queijo frio mesmo por cima e umas nozes carameladas. Perfeito! Uma combinação de salgadinho, doce, macio e crocante. Sério!! Troco muito jantar chique que já experimentei por isso.

Eu derreto um pouco de açúcar na panela e quando ela começa caramelar eu jogo em cimas das nozes e pronto. Rápido e fácil de fazer. O açúcar endurece e fica crocante. Bom demais.

tartine_cabra_nozes

E para terminar, mas uma tartine que eu sempre faço, amo demais e também juro que é fácil e rápido de fazer.

Eu corto uma pera mais firme em pedaços, coloco em uma panela para cozinhar um pouquinho com um tiquinho de água. Quando a pera está macia eu coloco pedaços de queijo gorgonzola dentro e deixo derreter. Depois é só colocar a mistura no pão saído do grill e voilá…delícia total.

tartine_pera_gorgonzola

Agora se você leu tudo isso e me achou louca por misturar doce e salgado em quase tudo. Deixe o preconceito de lado e experimente algumas das receitinhas acima. Tenho certeza que a chance de gostar é bem maior do que você imagina.

E se você testar alguma combinação e curtir, me conte que eu ficarei bem feliz em saber.

Siga minhas aventuras gastronômicas no instagram (@makeupatelier) e pesquise por #cinthianacozinha.

Para ler todas as receitas que eu já postei aqui no blog é só clicar aqui.