• #CinthiaNaCozinha | Receitas Doces e salgadas com passo a passo

    Para facilitar a busca de todos, resolvi fazer este post com todas as receitas que foram postadas aqui no Spicy Vanilla. São receitas doces, salgadas e deliciosas. Fotos do passo a passo para ajudar até quem não ainda não tem muita experiência na cozinha. Gire a barra de rolagem e...

    Leia mais...
  • 10 itens para não esquecer na hora de planejar o orçamento da sua viagem

    Pois é pessoal, aproveitei um dos meus 30 dias em Buenos Aires e gravei um vídeo reunindo dicas que muita gente me pede. Falei sobre os 10 itens que você não deve esquecer na hora de planejar o orçamento da sua viagem. No vídeo eu comentei um pouco sobre cada...

    Leia mais...
  • Vídeo | Dicas para fazer compras nos outlets dos Estados Unidos

    Por mais que eu fale de roteiros, passeios e comidinhas, o que mais me pedem são dicas de compras. Então separei umas horinhas desta última viagem para falar sobre os famosos outlets dos Estados Unidos e dar algumas dicas úteis. Há uns 15 anos visitei meu primeiro outlet nos Estados...

    Leia mais...
Postado por Cinthia Ferreira em 30-mar-2017

Gruyères de Trem | Um dia com queijos, chocolates e paisagens

Europa, Gruyere, MInhas Viagens, Suiça, Videos


Nó último post falei sobre a Fábrica de Chocolate Cailler (aqui), uma das mais conhecidas da Suiça. Hoje falarei mais sobre o passeio inteiro que fizemos neste dia e que inclui a cidade de Gruyères, produtora de um dos queijos mais conhecidos e deliciosos do mundo.

Juntar o passeio na Maison Cailler com Gruyères é o tour mais comum para quem visita o local pela primeira vez. Afinal uma cidade fica do ladinho da outra e em menos de 3 horas você consegue visitar a Fábrica de chocolate e ter o resto do dia livre para passear em Gruyére.

Fizemos um vídeo mostrando todos o nosso passeio. Aperte o play ou clique aqui para assistir.

Agora algumas dicas e detalhes dos passeios que fizemos por lá.

Como chegar…

O trajeto é conhecido por conta dos trens temáticos como o Train Du Chocolate (contei aqui e só funciona no verão) e o Le Train Du Fromage (trem do queijo – O trem antiguinho que aparece em nosso vídeo). Ambos passeios saem de Montreux e vão até a região de Gruyères em trens vintage e servem fondue e outras comidinhas durante o trajeto.

Mas nós escolhermos no tem panorâmico que estava incluso no nosso Swiss Pass (vende aqui) pois o foco era almoçar no restaurante Le Chalet de Gruyeres. Primeiro formo para fábrica de chocolate Cailler que fica algumas estação depois de Gruyére, voltamos para Gruyére e depois voltamos para Montreux.

Sempre usamos o aplicativo SBB Mobile, como mostrei no vídeo, já que ele mostra certinho qual trem pegar, os horários e as plataformas. É muito fácil de usar, mas ainda farei um vídeo explicando tudo. Mas enfim, há uma troca de trem na Estação de Montbovon e só. O passeio demora 1:45 de Montreux até Broc – Fabrique (estação da fábrica), volta mais uns 20 minutos até a estação de Gruyères e de Gruyères para voltar até Montreux mais 1:20. Então para fazer os dois passeios no mesmo dia eu sugiro sair umas 9 da manhã se for inverno, uma vez que as atrações fecham as 17h. O trajeto é lindo, as paisagens são maravilhosas e trem é ótimo para apreciar tudo. Todos os vagões são panorâmicos e a primeira classe tem serviço de bordo com comidinhas pagas a parte.

Quem estiver de carro também pode fazer o passeio de forma mais rápida. Não vai ter o charme do trem mas para quem já está com carro ou em família, é uma boa opção. Há estacionamento na frente da fábrica de chocolate, na frente da fábrica de queijo e lá no alta da cidadezinha em Gruyères.

Rail Europe - O melhor lugar para sua viagem de trem

Fondue, Raclette e creme de gruyère em Gruyères

Le Chalet de Gruyeres – Rue du Bourg 53, 1663 Gruyères, Suíça

Quando falamos para nossos amigos de Vevey que iríamos passar o dia em Gruyères, a dica foi unânime…comam um fondue no Le Chalet. Então, apaixonada por queijo que sou, lógico que nem pensei duas vezes.

O Le Chalet fica bem na entrada do portal do castelo e não tem como errar. Como não sabíamos que horas chegaríamos lá depois da visita à Cailler e por isso não fizemos reserva. Erro total pois ficamos mais de 40 minutos esperando mesa pois mesmo sendo umas 3 da tarde estava lotado.

O restaurante tem dois andares e mesas bem coladas uma nas outras. Diria até que é claustrofóbico ficar no meio daquele monte de gente com um monte de fumaça por tudo. Sorte que pegamos uma mas bem ao lado da janela (a foto de cima foi tirada de lá). Mas o sacrifício valeu a pena pois o fondue era es-pe-ta-cu-lar. Comemos vários outros na viagem mas aquele foi o melhor. Já a raclette preferimos a de Zermatt, mas estava boa.

Agora o tal creme de gruyere que vem com merengue, o creme e frutas vermelhas, não rolou. O marido disse que parecia suspiro com requeijão rs. Sério, não foi o nosso tipo de sobremesa pois mais que todos falavam que era incrível. Acabamos deixando tudo lá.

Além do Le Chalet, a cidade tem vários restaurantes e casa de doces.

Veja nosso Vídeo com o resumo da viagem –  1 mês em 3 minutos

O que fazer em Gruyères

O barato de Gruyères, além de comer..rs, é passear pela cidade. Área do castelo e ver as maravilhosas paisagens. Como vocês viram no vídeo, a cidade é linda e a vista dos alpes é maravilhosa. É uma delícia caminhar pelas ruazinhas e construções históricas.

Saindo da estação e depois de visitar a fábrica, você pode pegar o ônibus local que te leva lá na área do castelo ou ir caminhando (uns 20 minutos de subida). Nós subimos e descemos a pé. Se não fosse o frio teria sido ainda mais legal. rs. Quem está de carro pode subir e estacionar lá no alto.

La Maison Gruyère – Fábrica do queijo gruyére – La Maison du Gruyère, Place de la Gare 3, CH-1663 Pringy-Gruyères

Como vocês viram no vídeo, a La Maison Gruyére fica do outro lado da estação de trem Gruyères. Lá é possível ver a produção de queijo nos horários disponíveis, fazer a visita com audioguia e saber mais sobre a produção de queijo e sua história, almoçar no restaurante e comprar muitos queijos na loja local.

A entrada é gratuita para quem tem o Swiss Pass – O ticket custa 7 Francos para adulto (ou 16 francos em conjunto com a entrada do castelo), 6 Francos estudantes e seniors, 12 Francos por família com 2 adultos e duas crianças até 12 anos. Dá direito a um audioguia e uma embalagem com 3 tipos de Gruyère.  Confira aqui no site os horários de funcionamento e de produção do queijo de acordo com a época da sua visita.

HR Giger Museum  – Château St. Germain, 1663 –  Gruyères, Suíça

HR Giger ficou mundialmente conhecido com o seu personagem Alien. E como Gruyères era sua cidade do coração (ele nasceu em Chur), lá está o museu que concentra a maior quantidade de obras do artista assim como seu corpo, enterrado no cemitério lá próximos desde sua morte em 2014.

O museu fica no Château St. Germain, dentro das muralhas e conta com várias salas e andares dedicados a obra surrealista de Giger, assim como sua coleção particular com obra de outros artistas do mesmo estilo. Lá estão vários rascunhos da criação do Alien, esculturas usadas nos filmes entre vários outros personagens exóticos e eróticos. Há uma sala reservada para maiores de 18 anos com um acervo bem fetichista e “criativo” se é que podemos classificar assim.

As salas antigas são cheias de seus quadros e esculturas incríveis. Um mundo de fantasia repleto de peças para quem aprecia o estilo intenso do artista. No filme acima eu mostrei apenas a entrada, única parte que podia ser filmada. Mas há muito mais o que se ver por lá.

A entrada é gratuita para quem tem o Swiss Pass – Adultos sem o passe pagam 12,50 francos – confira no site os horários de acordo com a temporada de sua viagem.

Giger Bar – Rue du Château St. Germain 3, 1663 –  Gruyères, Suíça

Já o bar fica no prédio da frente e é aberto ao público. Eles só permitem fotos de quem está consumindo no local para não virar bagunça. Então indico mesmo que entrem e peçam alguma bebida pois a decoração do local é sensacional. As mesas, cadeiras, balcões e até o teto são esculturas perfeitas. A primeira unidade do Giger Bar fica em Chur, mas o de Gruyères é mais bonito.

Castelo de Gruyéres

O Castelo de Gruyéres é uma dos castelos medievais mais conhecidos da Suíça e a principal atração da cidade. Como disse no vídeo, estávamos no inverno e a visitação encerava as 17h. Então não conseguimos visitar desta vez pois tinha acabado de fechar.

O castelo foi aberto ao público em 1938 e abriga uma bela coleção de artes. Dizem que a visita ao castelo dura em média uma hora.

Mesmo que você, assim como nós, não consiga chegar a tempo no castelo, vale muito a pena vê-lo por fora e se apaixonar pela vista ao redor.

O Castelo de Gruyéres fica aberto todos os dias. Entre Novembro a março da 10 às 17 h e entre Abril e outubro, das 9 às 18h. A entrada é gratuita para quem tem o Swiss Pass

Outro museu interessante na cidade é o TIBET MUSEUM – Fondation Alain Bordier que não chegamos a conhecer mas dizem que tem um acervo interessantíssimo para quem aprecia este tipo de arte e cultura. Por lá estão expostas mais de 300 obras do do século VI ao século XVIII

A cidade ainda tem mais atrativos que mudam de acordo com a estação aqui no site oficial La Gruyère você poderá ficar por dentro do que acontece por lá e mais dicas de novas atrações na cidade. Assim como atrações na região.

Onde se hospedar em Gruyéres…

Nós estávamos hospedados em Vevey (aqui), então não conhecemos nenhum hotel em Gruyères, mas quem quiser pode ficar hospedado na própria vilinha medieval que mostramos no nosso vídeo. São hotéis em prédios de época para quem quer acordar já com a vista de Gruyére. Aqui tem as opção disponíveis por lá.

Quanto tempo ficar em Gruyère…

Nós ficamos umas 5 horas na cidade e além de ter sido corrido, não deu tempo de passear direito nem de visitar o castelo. Se fizesse novamente teria saído de Montreux umas 9, visitaria a Cailler e chegaria em Gruyére antes das 13h já com reserva para o almoço.

Como fomos no inverno e anoitecia cedo, antes das 18:30 já estávamos voltando para Montreux pois estava muito frio. Quem for no verão pode aproveitar até mais tarde.

Mas foi um passeio delicioso que indico a todos que amam queijos e chocolates e estiverem na região de Lausanne, Montreux, Vevey, Friboug e Bern. A cidade é um encanto. Já estou doida para voltar no verão.

.

Veja mais fotos de Vevey no instagram @spicyvanillanomundo e na hashtag #SpicyVanillaNaSuiça

Quem quiser ficar por dentro de tudo que for postado aqui poderá receber o conteúdo completo de cada post em seu email. Basta assinar a newsletter do blog aqui.

Mais posts sobre a Suíça

 O Spicy Vanilla viajou com o Swiss Pass First Class a convite de Swiss Travel System 

Postado por Cinthia Ferreira em 28-mar-2017

Visitando a fábrica de chocolates Cailler na Suiça

Europa, Gruyere, MInhas Viagens, Suiça

Mais um passeio na Suíça.  Hoje vamos saber sobre como visitar a fábrica de chocolates Cailler ou melhor, a  Maison Cailler – La Chocolaterie Suisse que fica em Broc, cidade pertinho de Gruyére e procurada pelos viajantes amantes de chocolate.

Em 2010 a empresa Cailler, que hoje em dia pertence a Nestlé, abriu a Maison Cailler – La Chocolaterie Suisse que é a atração de chocolate mais conhecida da Suíça. Uma atração para quem ama chocolate e quer saber mais sobre esta iguaria, com direito a tour de chocolate, demonstração de parte do processo, área para degustação, lojinha, cafeteria, parquinho e até um atelier de chocolate com cursinhos super interessantes.

Veja aqui nosso roteiro pela Suíça

O passeio começou lindo desde que saímos de Montreux em direção a Broc. Muitas pessoas alugam carro para visitar a fábrica já que a viagem é mais rápida, mas nós amamos andar de trem e jamais perderíamos as paisagens belíssimas do caminho.

Nosso roteiro seria Montreux, parada em Broc para ver a fábrica e depois passar a tarde em Gruyére. O trem que sobe as montanhas é panorâmico da linha Golden Pass e está incluso no Swiss Pass (não precisa nem pagar reserva). No aplicativo da SBB Mobile você programa seu destino e já aparece tudo certinho: o trem que você tem que pegar, os horários e as plataformas. Para ir a Broc nos mudamos de trem duas vezes. Mas é super simples, em estações pequeninas e fofas. Só ficar de olho no letreiro do trem que indica os pontos que você tem que parar. É realmente muito fácil.

A paisagem no caminho é maravilhosa. Como fomos no inverno, vimos as cidades branquinhas contrastando com o céu azul e foi maravilhoso.

Train Du Chocolat

Quem fizer o passeio no verão ainda tem a oportunidade de fazer o passeio do Trem de Chocolate, um trem turístico que sai de Montreux, é feito em um vagão vintage de 1915, inclui café e croissants depois da partida em Montreux, Fondue de queijo e degustação na fábrica de chocolate Cailler-Nestlé.

Inclusos no bilhete: café e croissants no trem, entradas para o show de laticínios “La Maison du Gruyère” e para a fábrica de chocolate Cailler-Nestlé, em Broc. Quem não tiver o Swiss Pass também deverá pagar a viagem. Saiba mais informações e preço aqui.

Rail Europe - O melhor lugar para sua viagem de trem


Chegamos na parada Broc-Fabrique e descemos na pequena estação que fica super pertinho da entrada da fábrica. Basta seguir os demais viajantes ou as placas.

Compre seu ticket que na hora (A entrada é gratuita para quem tem o Swiss Pass, basta mostras o passe), eles avisarão qual será a hora do seu tour. Nós esperamos apenas 15 minutos até a próxima turma, mas no verão as visitas são bem mais intensas, então chegue cedo.

Veja nosso Vídeo com o resumo da viagem –  1 mês em 3 minutos

O tour demora em média uma hora e pouquinho e começa falando mais sobre a história do chocolate. Cada sala uma nova história com ambientação de cada época.

Depois vem a parte da fabricação do chocolate e da história do nascimento da Maison Cailler e sua trajetória até os dias de hoje. Saiba mais aqui.

Eles falam da importância do leite suíço na fabricação e no sabor do chocolate ao leite. Enquanto a Bélgica é a grande produtora de chocolates conhecidos e premiados no mundo todo, o chocolate ao leite foi criado por Daniel Peter, genro de François-Louis Cailler em 1875 na Suíça.

Agora é hora de conhecer mais sobre os ingredientes utilizados nos chocolates. Dá para conhecer a amêndoa do cacau, a manteiga de cacau, as castanhas utilizadas nas preparações.

Nesta área conseguimos ver uma das máquinas com robôs embalando os chocolates em miniatura e pegá-los direto da fonte.

Mais a frente, parte da fábrica em si. Diferente do que eu imaginava, a parte da fabricação fica atras dos vidros por questões higiênicas e só vemos de longe e pelos monitores. Quem quiser saber tudo sobre a produção deve ficar sentadinho nos bancos vendo tudo pelo vídeos. Ou seja, pense mais em visitar um museu do chocolates do que uma fábrica em si, mas a fábrica é ali mesmo e todos os chocolates Cailler são fabricados em Broc.

Em seguida vamos para um corredor que nos ensina a degustar o chocolate. Primeiro você pega o chocolate e vai seguindo as instruções do audio guia. Aprende sentir o aroma, textura e identificar cada nota de sabor. Um exercício bem interessante.

O tour finaliza na parte que a maioria espera, a degustação dos chocolates Cailler. Os visitantes podem comer a vontade as variedades expostas no balção. Eu consegui comer meio de cada, dividindo cada um com o marido, pois são várias opções. Mas chocólatras amantes de chocolates mais doces irão a loucura.

Acima alguns dos conhecidos chocolates da marca e seus ingredientes.

Quem quiser também pode fazer aulas no Atelier du Chocolat e aprender fazer dezenas de chocolates ou doces com chocolate. No site da Maison Cailler dá para saber os cursos e fazer as reservas.

No final do tour é hora de fazer umas comprinhas na lojona da Cailler. Além dos chocolates tradicionais da marca há edições limitadas (estes invernais são ótimos) e algumas trufas exclusivas. O preço é quase o mesmo dos mercados, então aproveite se tiver alguma promoção diferente, senão não vale a pena ficar carregando peso.

Lá também há uma cafeteria servindo várias delícias e o famoso chocolate quente Cailler.

No lado de fora também tem um playground que é super bonitinho. No dia que fomos estava coberto de neve, mas no verão deve ser uma atração divertida para as crianças.

Dica: Se a lojinha estiver muito cheia você pode aproveitar a lojinha da Nestlé que fica coladinha na estação do trem. Lá também tem os chocolates e tem todos os demais produtos da Nestlé. O preço é o mesmo.

Agora quem quiser ver mais da fábrica é só assistir o vídeo que gravamos por lá e outros passeios que fizemos na região.

Aperte o play ou clique aqui para assistir.

Informações:

Maison Cailler La Chocolaterie Suisser  – Rue Jules Bellet 7 – Broc –  Telephone: + 41 (0)26 921 59 60 – E-mail: maisoncailler@nestle.com

Preço: A entrada é gratuita para quem tem o Swiss Pass – Adultos 12 Francos – Seniors e estudantes 9 Francos – Crianças menores de 16 anos acompanhadas de adulto não pagam ingresso.
Horários de funcionamento: De 01.04 até 31.10 das 10 as 17h – De 01.11 até 31.03 das 10 as 16h – O guichê fecha uma hora antes do último tour. Aberto todos os dias do ano menos Natal e Ano Novo.
Como chegar: De trem descendo na estação Broc Fabrique e andando um quarteirão ou de carro (há estacionamento grátis para os visitantes)

.

Veja mais fotos de Vevey no instagram @spicyvanillanomundo e na hashtag #SpicyVanillaNaSuiça

Quem quiser ficar por dentro de tudo que for postado aqui poderá receber o conteúdo completo de cada post em seu email. Basta assinar a newsletter do blog aqui.

Mais posts sobre a Suíça




Postado por Cinthia Ferreira em 23-mar-2017

Vevey | Onde ficar, onde comer e o que fazer nesta cidade linda na Suíça

MInhas Viagens, Suiça, Turismo, Vevey, Videos, Visitando

Vevey foi a cidade que ficamos mais tempo na Suíça. Temos amigos que moram por lá, foi nosso ponto de parada no início e no meio da viagem e o tempo que passamos por lá foi o suficiente para adorar a cidade e não ver a hora de voltar.

Foi a cidade que mais andei, que mais experimentei restaurantes e que tive mais tempo livre. A cidade ainda é menos conhecidas dos turistas brasileiros do que as vizinhas Montreux e Lausanne, mas acho que me apeguei tanto a ela, e por já ter conhecido Lausanne e Montreux antes, Vevey é a minha queridinha.

Veja aqui nosso roteiro pela Suiça

As ruas do centro velho são deliciosas e cada dia que eu caminhava por lá descobria um cantinho novo. O pôr do sol é espetacular, o lago é maravilhoso e um dos melhores restaurantes que fomos na viagem, está lá. Então, se Vevey ainda não está no seu roteiro, pense em reservar uns 2 ou 3 dias para ela.

Antes de continuar este post, anotar as informações e dicas, aperte o play (ou clique aqui) e assista ao vlog que gravamos mostrando um pouquinho da nossa passagem por Vevey.

Aproveite para assinar o canal e ver todos os nossos vídeos de viagem aqui.

Como chegar em Vevey…

Carro ou trem, mas nós fizemos todas as nossas viagens pela Suíça de trem, assim ninguém precisou dirigir e pudemos aproveitar as maravilhosas paisagens.

Saindo do aeroporto de Geneve há dois trens para Vevey. Um tem mais paradas e o expresso que para poucas vezes. Em menos de uma hora estávamos em Vevey, cidade que fica depois de Lausanne e antes de Montreux.

Quem está usando Swiss Pass já pode iniciar com a viagem sem precisar pagar reserva (os únicos trens que precisam de reserva são os panorâmicos). Quem não tem o Swiss Pass vai pagar a partir de 33 francos pelo ticket que pode ser comprado direto na estação. (segunda classe).

Rail Europe - O melhor lugar para sua viagem de trem

Veja nosso Vídeo com o resumo da viagem –  1 mês em 3 minutos

Onde se hospedar em Vevey…

Nós ficamos em dois hotéis bem conhecidos na cidade, um 5 estrelas luxuoso com muita historia e ótimo atendimento e outro 4 estrelas bem prático para quem quer ficar bem no centro da cidade e precisa de um quarto com cozinha.

O  Grand Hotel du Lac (resenha aqui) é óbvio meu escolhido e o melhor hotel da cidade. De frente para o lago e com todo luxo e conforto que um hotel pode ter.

O Astra Hotel  é super bem localizado, tem quartos com cozinha fica em um prédio histórico, do lado de shoppings e mercados e na frente da estação central. Peça os quartos renovados.

Veja aqui outros hotéis em Vevey

Como se locomover em Vevey…

É possível fazer quase tudo a pé em Vevey, mas para os pontos mais distantes ou para ir a Montreux, nada melhor do que o transporte público local.

A região de Montreux-riviera e várias outras regiões da Suíça tem um esquema de cartão de transporte de graça para quem estiver hospedado em hotéis credenciados (Chur foi a única cidade que não tinha este tipo de benefício).

Enfim, basta fazer check-in no seu hotel e solicitar o cartão, que estará válido somente durante os dias da sua hospedagem.

Este cartão dá direito a utilizar os ônibus da região de Vevey até Montreux, além de dar descontos de até 50% em museus, barcos, bondinhos e funiculares.

Ou seja, se você estiver de carro, pode deixá-lo no estacionamento! O cartão de transporte é uma mão na roda, você não precisará se preocupar onde estacionar e se estiver utilizando um swiss pass flex, não precisará “gastar um dia”. O desconto nos passeios vele muito a pena.

O que fazer em Vevey…

Uma dos coisas que mais fiz na semana que estivemos na cidade foi caminhar. O centro velho é uma delícia e dá para passar algumas horas caminhando pelas ruas estreitas e observando os edifícios históricos.

Eu amo cidades antigas e Vevey foi uma das minhas preferidas da Suíça. É muito fácil de andar por lá.

Comece o passeio na Place du Marché e caminhe por todas as ruazinhas da cidade velha. Vá por dentro e volte pela beira do lago.

Quem estiver na cidade entre maio e setembro,  pode fazer um Walking Tour com guias locais. Dura em média duas horas e custa 10 Francos por pessoa. Aqui tem mais informações.

A cidade tem uma variedade de museus, com opções para todos os gostos. Visitamos alguns…

Museu Le Nest, o museu da Nestlé…

No video deu para ver bem a maravilha que é o  Le Nest. Um museu novinho que conta tudo sobre a história da Nestlé, empresa que nasceu em Vevey e até hoje tem seu principal escritório por lá.

O museu tem 3 áreas que misturam história com tecnologia e contam tudo sobre esta empresa mundial. Em breve farei post detalhado sobre o Le Nest, mas já digo que é um museu imperdível para adultos e crianças.

O Le Nest fica bem pertinho da estação central, o google maps te ajuda a chegar facinho a pé.

Chaplin’s World (post aqui)

Museu dedicado ao artista Charlie Chaplin, que passou os últimos anos de sua vida com sua família morando em Vevey. Um edifício dedicado aos estúdios, a mansão que o artista morou, um enorme parque e um restaurante gracinha.

A atração um pouco mais distante de Vevey. O ônibus parte da estação central e em uns 15 minutos te deixa bem na frente do museu.

Mas não vou me estender mais pois tem post completinho aqui.

Camera Museum, o Museu Suíço da Câmera fotográfica…

Um paraíso para quem ama fotografia. Dois prédios e várias salas com tudo sobre máquinas fotográficas e filmadoras. Um acervo gigante de equipamentos desde o início da fotografia. Há equipamentos raríssimos e interessantes.

Quem tem o Swiss Pass não paga nada para entrar no museu.

Alimentarium…

O museu Alimentarium também é do grupo Nestlé e conta a história e a importância da alimentação. Mostra desde a origem da preparação dos alimentos, equipamentos, história da alimentação industrial até o funcionamento do sistema digestivo.

É um museu bem interativo cheio de computadores e com audioguia para quem quer conhecer bem o tema. Se tiver que escolher entre este e o Nest, prefira o Nest mas vá até o prédio do Alimentarium que é lindo e é lá na frente que fica a escultura do garfo.

Outros museus em Vevey…

Musée Historique de VeveyJenisch Arts and Cantonal Stamp Museum e o novo Musée de l’Absurde.

Compras em Vevey…

Apesar de ser uma cidade pequena, Vevey tem várias opções para quem quer deixar um dinheirinho na Suíça.

O Centre Manor é o shopping da cidade que conta com a loja Monor, uma loja de departamentos que tem de tudo e várias outras lojas como loja esportivas, infantis, Globus, H&M, The Body Shop, farmácia, lojas de calçados e outras. A melhor parte na minha opinião é o supermercado deles que tem coisas ótimas.

A lado do Centre Manor há outros centros comerciais mais populares mas não achei nada de interessante. Na mesma região há mercados como Coop e Migros.

Fiz um post aqui com vídeo e detalhe sobre as lojas da cidade e mostrando o que eu comprei.

Do lado oposto na Place du Marché há dezenas de lojas maiores e nos edifícios históricos estão as lojas menores e mais charmosas. Papelarias, lojas de design, roupas de luxo, brechós, lojas de chás e de comidinhas. Com certeza minha parte preferida.

Vale ficar atento, pois as lojas fecham às 6 da tarde, de segunda a quinta (algumas fecham para o almoço), às 8 da noite, de sexta e sábado (algumas tem horário diferente). E de domingo fica tudo fechado, até os mercados e vários restaurantes.

Lá na Place du Maché também está a minha loja de chocolates favorita da Suíça, a Laderach. Uma loja de chocolates finos e deliciosos que também oferece um workshop aos visitantes que comprarem o pacote.

Não se preocupe se você não tiver tempo de ir na loja de Vevey, pois há Laderach em quase todas as cidades que visitamos. O preço é alto comparado aos chocolate de mercado, mas vale a pena, pois são deliciosos.

Outro passeio imperdível é caminhar e “namorar” o Lac Léman, ou lago de Geneve. Com vista para os Alpes a beira do lago é a parte preferida de quem mora em Vevey. As casas da avenida do lago são caríssimas e olhando as fotos podemos entender o motivo.

As fotos acima foram feitas na frente do The Fork e da sacada do nosso quarto.

Mesmo no inverno, que os dias são acinzentados, a vista é maravilhosa. Tudo é tão perfeito que mesmo com  temperatura por volta dos 6 graus, eu fiquei horas caminhando na área.

E não podemos deixar de lado o pôr do sol da região, que é um espetáculo a parte. Esta foi uma foto feita com celular em um dia cinza e chuvoso que eu estava de bobeira na beira do lago. Este pier fica na frente da sede da Nestlé.

Pegar o funicular e ver o pôr do sol e as vinculas lá do alto é um programa bem apreciado pelos viajantes. Nós fizemos isso durante uma primavera na Suiça e foi incrível.

Vevey no verão…

Vevey é uma cidade da Riviera Suíça, que diferente dos Alpes, tem sua alta temporada na primavera e no verão. É nesta época que a cidade atinge sua total beleza e as pessoas saem para as ruas para curtir o lago, os festivais e as belas paisagens locais.

Além dos passeios que eu mostrei acima, há passeios de barco e esportes radicais na região. O passeio pelas vinículas também é muito interessante. Confira todos os passeios aqui no LavauxRiviera e no site de região dos vinhedos Lavaux.

Acima a foto da Place du Marché durante o verão, onde o mercado de rua fica lotado de gente assim como outras áreas da cidade.

No inverno estava tudo bem vazio mas mesmo assim uma delícia para passear.

Onde comer em Vevey…

A cidade tem mais cafés e confeitarias do que restaurantes, mas ainda assim há ótimas opções. Vou contar um pouquinho sobre alguns dos restaurante que fomos e dar dicas de duas amigas que moram por lá que recomendaram algumas opções. Já que comer na Suíça é quase um investimento, melhor não errar, né ?

Zé Fork on the Water (mostrei no vídeo) – Na nossa opinião, o melhor restaurante de Vevey e um dos melhores da Suíça. O cardápio é um dos mais interesantes que provamos já que cada prato escolhido vem com 3 opções. O serviço é ótimos e os sabores são divinos. Nota 10. Fiz até um post detalhado com várias fotos e explicações sobre o cardápio aqui.

KJU (mostrei no vídeo) –  Um restaurante que fica ao lado do Ze Fork, todo moderninho, bem frequentado e com decoração belíssima e cardápio variado. Alguns pratos que comemos estavam gostosos mas daria uma nota 7. Achei que o sabor não acompanhou o preço. Vale mais pelo ambiente do que pela comida na nossa opinião. Dizem que os drinks e os lanches são bem bons.

The Trump (mostrei no vídeo) – O restaurante do Chaplin’s Word. Restaurante de cozinha americana com preços legais e boas opções para adultos e crianças. A melhor sopa que comi na Suíça, ótima sobremesa e hambúrguer gostoso. Vale o preço.

Molino – Rede italiana de restaurantes que está presente em várias cidades Suíças. Pedimos uma pizza que não estava legal (aliás não comi nenhuma pizza boa na Suíça), mas minha amiga que mora lá disse que o gnochi de gorgonzola é delicioso.

Café Henri (mostrei no vídeo)O restaurante do museu Le Nest. Durante a semana tem saladas, tortas e pratos sazonais com boas sobremesas. Um ótimo custo benefício. Final de semana tem brunch com valor por pessoa e comida a vontade.

Le Veme – Um bar que fica ao lado da estação central e que serve hambúrguers deliciosos, mas só durante os dias da semana. O preço é bom e as opções são bem interessantes. Carne boa e queijo suíço só podem dar certo, né?

Crêperie An Arvor –  É um local bem bonitinho no centro antigo e que tem várias opções de crepes. Não bate o que comemos em Evian mas é bem gosto.

Panino Dessert (mostrei no vídeo) – Confeitaria favorita da minha amiga Silmara. Eu passei para tomar um chá e comer um docinho e digo que o mil folhas deles é divino. Vale muito a pena.

Manora (mostrei no vídeo) – Restaurante que fica dentro do shopping de Vevey. Sistema de buffet com muitas opções de doces e salgados. Pedi uma pizza mas não curti, mas a sobremesa estava ótima. Há opções de massas e saladas que dizem ser melhores. O valor é bem interessante.

Les Saisons – Restaurante belíssimo do nosso hotel Grand Hotel do Lac com uma estrela Michelin. Amigos disseram o serviço é ótimo e os pratos são muito bons.

La Vechia Napoli – Amigas locais dizem que é a melhor pizza de Vevey. Não chegamos a provar.

Le Deck – Provavelmente a melhor vista da cidade. Amiga Renata diz que e ótimo lugar para tomar uns drinks.

É isso, espero que tenham curtido as dicas de Vevey e aguardem que ainda teremos muitos posts das outras dezenas de cidades que visitamos.

Veja mais fotos de Vevey no instagram @spicyvanillanomundo e na hashtag #SpicyVanillaEmVevey

Quem quiser ficar por dentro de tudo que for postado aqui poderá receber o conteúdo completo de cada post em seu email. Basta assinar a newsletter do blog aqui

Mais posts sobre a Suíça

O Spicy Vanilla esteve em Vevey a convite de Montreux Riviera Turismo