• #CinthiaNaCozinha | Receitas Doces e salgadas com passo a passo

    Para facilitar a busca de todos, resolvi fazer este post com todas as receitas que foram postadas aqui no Spicy Vanilla. São receitas doces, salgadas e deliciosas. Fotos do passo a passo para ajudar até quem não ainda não tem muita experiência na cozinha. Gire a barra de rolagem e...

    Leia mais...
  • 10 itens para não esquecer na hora de planejar o orçamento da sua viagem

    Pois é pessoal, aproveitei um dos meus 30 dias em Buenos Aires e gravei um vídeo reunindo dicas que muita gente me pede. Falei sobre os 10 itens que você não deve esquecer na hora de planejar o orçamento da sua viagem. No vídeo eu comentei um pouco sobre cada...

    Leia mais...
  • Vídeo | Dicas para fazer compras nos outlets dos Estados Unidos

    Por mais que eu fale de roteiros, passeios e comidinhas, o que mais me pedem são dicas de compras. Então separei umas horinhas desta última viagem para falar sobre os famosos outlets dos Estados Unidos e dar algumas dicas úteis. Há uns 15 anos visitei meu primeiro outlet nos Estados...

    Leia mais...
Postado por Cinthia Ferreira em 27-mar-2015

Visitando o Canal do Panamá | Eclusas de Miraflores

América Central, Cidade do Panamá, Cultura, Panamá, Turismo

canal_do_panama

Depois de mostrar os maiores pontos turísticos da Cidade do Panamá, chegou a hora de falar do principal e mais procurado. As eclusas de Miraflores no Canal do Panamá.

canal_do_panama_eclusas

O Canal do Panamá  tem 3 eclusas no total. A mais visitada é a da Miraflores, mais próxima do centro da cidade, mas a Pedro Miguel também é bem procurada. Nós fomos de carro com um colega do marido que mora lá, então não tivemos que nos preocupar com transportes.

Quem quiser economizar no transporte pode pegar um taxi qualquer, mas eu indico combinar com algum taxi do seu hotel ou com algum agente de turismo. É bem mais caro, mas os carros são mais novos e dizem que é mais seguro. Independente do taxi que pegar, lembre-se de combinar o preço antes de começar a corrida pois lá não há taxímetro e eles tem mais um menos um preço estipulado para cada distância. Pergunte antes para não ter surpresas desagradáveis.

Chegamos lá bem no fim da tarde, compramos os tickets e fomos de cara ver as eclusas para só depois entrar nos museus.

canal_do_panama_mercado

Antes de mais nada, você já deve ter aprendido na escola como o Canal do Panamá foi importante para o mundo todo, né ?

A travessia criou novas rotas no mundo todo e facilitou muito a expansão do comércio mundial. Por mais que navio pague uma bela quantia pela travessia, economiza-se muito mais em tempo e combustível.

canal_do_panama_miraflores

Confesso que só vendo pessoalmente que eu fui endentar o real funcionamento do canal. Na minha cabeça a travessia era bem mais rápida e feita de uma única vez.

No mapa abaixo dá para entender bem o caminho e ver o longo processo de travessia que dura um dia inteiro.

Panama_Canal_Mapa

Para entender melhor como funcionam as eclusas, deem uma olhada neste vídeo:

Agora as fotos que eu fiz em Miraflores. Vimos 3 navios passar por lá. A passagem do navio pelas eclusas  é bem rápida, mas a travessia total do canal demora mais de 20 horas.

No lado do pacífico, onde fica a Cidade do Panamá, conseguíamos ver, do quarto do nosso hotel, a “fila de navios” esperando seu horário de travessia. Falaram que o agendamento da travessia é feito muitos meses antes e tudo e muito bem programado.

canal_do_panama_travessia

Há duas plataformas que os visitantes podem ficar. Uma mais baixa com uma arquibancada e uma mais no alto para ver tudo de cima. É legal ver dos dois ângulos.

Vimos dois navios grandes, já sem carregamento, e um cheinho de containers. Dizem que às vezes dá para ver até submarinos (A Mirella viu e fotografou, tem post aqui), mas é algo raro.

canal_do_panama_visita

Curiosidade: Somente um Panamenho pode comandar o navio durante a travessia. Então, eles trocam de lugar antes da travessia e devolvem no final. Isso é apenas uma pró-forma, já que são máquinas que  puxam o navio.

Foi só no ano de 2000 que o Canal deixou de ser também dos Estados Unidos e se tornou integralmente posse do Panamá e o povo local comemora isso até hoje. Dizem que, somente há 15 anos, o país passou a ter dinheiro, cresceu absurdamente e a população melhor muito de vida. Dizem que a cidade é a nova Dubai e a tendência é crescer ainda mais nos próximos anos. Dizem que quem esteve na cidade há 5 anos, não a reconhecem mais, tamanho crescimento.

canal_do_panama_museo

Depois de ver as eclusas ao vivo, é hora de visitar os museus e entender um poquinho do Canal desde a sua construção.

Imagens, vídeos e memorabilia. É ao mesmo tempo incrível ver como aquilo foi idealizado e realizado como assustador saber da quantidade imensa de pessoas que morreram na construção e devido a doenças tropicais. A febre amarela foi uma das grandes responsáveis da tragédia.

Curiosidade: O amigo do marido disse que os antigos contam que o povo achava que quem transmitia a febre amarela era a formiga e por isso faziam barreiras com água para a formiga não passar. Mal sabiam que o vilão era o mosquito e que a água parada foi responsável pelo aumento dos caso da doença.

canal_do_panama_simulador

Em um dos andares há um simulador da área de controle e outro onde os visitantes entram em uma cabine de um navio e um filminho é apresentado simulando a travessia.

Este lugar estava extremamente cheio de gente, então nem conseguimos fazer direito.

canal_do_panama_museu_marinho

Além da parte histórica, um dos andares é dedicado as espécies locais. Peixes e outros pequenos animais aquáticos vivos e várias espécimes de insetos.

Nem preciso dizer que é um passeio imperdível e cheio de história. Não ir ao Canal é como ir a Paris e não ver a torre. 

Minha sugestão é fazer a visita ao canal, passar uma hora e meia em média por lá, sair e ir até o Biomuseo depois atravessar o causeway e ir até as ilhas.

Vale lembrar que este ano será inaugurado um “novo canal”, desta vez muito mais moderno, sustentável, e maior, comportando navios que hoje em dia não conseguem passar pelo canal.

Dicas:

Como eu disse acima, combine o preço com o taxista entes de começar a corrida.

Entre no site do Canal do Panamá ou ligue no setor de atendimento e verifique o horário da passagens do navio. Ir lá e não ver nenhuma travessia pode ser frustrante.

Informações:

Centro de visitantes de Miraflores – Consulte horários atualizados e valores no site oficial ou pelo telefone  +507 276-8325.

 

Para ler todos os posts da Cidade de Panamá, clique aqui. Tem post sobre restaurantes, hotel, compras e passeios.

desconto seguro viagem

Postado por Cinthia Ferreira em 09-mar-2015

#CinthiaNaCozinha | Receitas e 3 versões da Torta de Maçã americana

doces, Gastronomia, Receitas

torta_maca_capa

Depois da minha torta de maça fazer sucesso e muita gente pedir receita, resolvi fazer mais duas versões para deixar um post bem completo.

Eu amo a tradicional Apple Pie americana e por isso busquei uma receita clássica deste site americano e claro, fiz as minhas adaptações.
torta_maca_ingredientes

Ingredientes da massa:

2 + 1/3 de xícara de farinha;
225 g de manteiga gelada;
1 colher de sopa de açúcar cristal;
uma pitada de sal;
1/2 colher de chá de fermento em pó.
2 ou 3 colheres de água gelada.
torta_maca_massa

Vamos começar pela massa pois ela deverá ficar uma hora na geladeira antes de ser montada e ir ao forno.

Pique a manteiga em pedacinhos e misture com a farinha em uma tigela grande.

Misture com as pontas dos dedos até formar uma farofa soltinha, como mostrado na foto acima. Não precisa mexer demais.

Depois misture o sal, o açúcar e o fermento, e acrescente à mistura.

Junte uma colher de água gelada por vez para dar liga até virar uma massa. A quantidade de água vai variar para dar liga, mas a massa não pode ficar mole. Eu usei somente duas colheres.

torta_maca_geladeira

Separe a massa em duas partes e deixe-as achatadinhas como se fosse um pires, embale-as separadamente em um filme plástico e leve à geladeira por uma hora.

torta_maca_especiarias

Agora vamos preparar o recheio de maça. Aqui você poderá usar as especiarias de acordo com o seu gosto pessoal.

Ingredientes do recheio:

4 maças fuji médias;
2 maças verdes médias (se quiser a torta mais doce e menos azedinha, faça tudo com a fuji);
1 colher de chá de canela em pó;
1/8 colher de chá de cravo em pó;
1/8 colher de chá de noz moscada;
uma pitada de sal;
1 colher de chá de extrato de baunilha
2/3 de xícara de acúcar mascavo;
1/4 de xícara açúcar demerara ou cristal;
3 colheres de sopa de maizena;
raspas de um limão e duas colheres de sopa do suco ou mais, se quiser mais azedinho.

A receita sugere colocar uns cubinhos da manteiga no meio das maças na hora de assar (1 colher de sopa cortada em pedacinhos).

torta_maca_recheio

Corte a maça em cubinhos ou em fatias fininhas (a tampada eu fiz com maçãs em fatias e a traçada fiz com maçãs em cubinhos). Misture o suco de limão e as raspas.

Misture todos os ingredientes seco, inclusive as especiarias em uma tigela e misture com a maçã. Deixe tudo bem misturadinho.

torta_maca_montagem_massa

Quando a massa estiver bem geladinha é hora de abrí-la até o tamanho da sua forma. Uma parte da massa fará o fundo da torta e a outra fará a tampa ou o traçado, de acordo com seu acabamento preferido.

Eu usei uma travessa de louça de 20 cm de diâmetro por 2 de altura.

Na versão abaixo as maças estão em fatias e percebam que coloquei bastante maçã até o centro dela ficar bem alto.

classic_apple_pie

Abra a outra parte da massa que fará a “tampa” e use o rolo para coloca-lá por cima da torta. Como eu não achei meu rolo grande e tive que usar o pequeno, acabei usando o papel manteiga para esta função.

Aperte as laterais dando o formato que você desejar. Só não faça como eu, que deixei a beirada para fora da forma e o formato não ficou nada bonito. rs

Faça o mesmo desenho mas deixando levantadinho para dentro da forma.

Não esqueça de fazer cortes com uma faca na parte de cima da torta para ela não inflar. 

Para não deixar a beiradinha torrada antes da torta ficar pronta, forre a borda da torta com papel alumínio.

Pincele a torta com um ovo batido se quiser a superfície mais dourada. Eu geralmente não faço.

Leve ao forno 200 graus por uns 40 ou 50 minutos. O importante é que a maçã esteja macia e a torta dourada.

Sirva a torta ainda quente e acompanhada de sorvete. 

torta_maca_classica

A outra opção é deixar a massa bem rente a forma e usar cubinhos de maça.

Com a massa da tampa faça tiras e intercale como se fosse um cesto de vime. Aqui no Dulce Delight a Raiza ensina como montar de forma bem mais linda do que a minha que eu fiz na pressa rs.

torta_maca_montagem

Agora para você ama maçã, mas acha que fazer a massa dá muito trabalho, ou não curte este tipo de massa, inventei uma versão mais rápida, linda e deliciosa.

Uma taça de maçã com baunilha, deliciosa e super fácil de fazer.

torta_maca_creme

Nesta opção você fará apenas o recheio da torta que coloquei aí em cima, na opção que eu cortei as maçãs em cubinhos.

Ao invés de colocar o recheio dentro da torta, coloque em um refratário tampado com papel alumínio e leve ao forno por uns 40 minutos a 220 graus ou até as maçãs estarem bem macias.

Além das maçãs, faça um creme de baunilha…

Coloque na panela uma caixinha de leite condensado, 500 ml de leite, 1 ovo, 2 colheres de sopa de maizena e leve ao fogo médio até engrossar.

Pegue taças individuais ou uma taça grandona para sobremesa e monte intercalando uma camada de maçãs e uma do creme.

Finalize com canela em pó, decore com canela em pó, canela em pau e um anis estrelado.

baunilha_maca_sobremesa

Bom, 3 versões desta delícia que você só vai deixar de fazer se não gostar de maçã.

Quem fizer e quiser me mostrar, poste no insta com a hashtag #AprendiNoSV. 

Aproveite e siga minhas aventuras gastronômicas no instagram (@makeupatelier) e pesquise por #cinthianacozinha.

Para ler todas as receitas que eu já postei aqui no blog é só clicar aqui.




Postado por Cinthia Ferreira em 27-fev-2015

Calgary | Um passeio pelo centro e um jantar na Calgary Tower

Calgary, Canadá, MInhas Viagens, Turismo

calgary_centro

Como eu ja disse em outros posts sobre nossa viagem para as Rochosas canadenses, Calgary é a “cidade grande” que recebe os voos de visitantes que seguirão viagem para Banff e região. Normalmente só é escolhida por turistas estrangeiros por conta do seu rodeio anual que é famosíssimo, mas nós achamos a cidade interessante e resolvemos passar uns dias por lá para conhecer um pouquinho e também conhecer o Heritage Park (contei aqui).

calgary_tower

 E como em quase todas as grandes cidades, Calgary também tem seu observatório. A Calgary Tower fica no centro da cidade e é de lá que podemos ver a cidade inteira e até a cadeia das montanhas rochosas. Tipo de passeio que muitos acham turístico demais, mas eu confesso que tenho amado ver as cidades do alto para me localizar direitinho.

Na Calgary Tower você tem a opção de pagar a entrada convencional para subir e olhar tudo lá de cima (eles também tem piso de vidro daqueles que muitos morrem de medo de ficar em cima), ou optar por almoçar ou jantar nos restaurantes e não precisar pagar a tarifa de subida.

calgary_tower_dinner

Nós optamos por jantar no restaurante  Sky 360. Primeiro fomos ver o mirante mesmo, depois seguimos para o restaurante. Assim como a maioria dos restaurantes em torres que conhecemos, vale mais a pena pela visto do que pela comida em si. Nada excepcional mas estava bem gostosinho.

Vale lembrar que quem for jantar por lá deve consumir um prato principal para não precisar pagar o valor da subida (era 18 dólares). Então nem adianta ir ao restaurante pensando em um suco e um petisco que você terá que pagar o valor da subida a parte. Mas no site do restaurante tem um menu com valores.

Acho interessante fazer reserva antecipada caso você opte por jantar no horário do pôr do sol. Estava bem cheio e reservamos um dia antes.

calgary_tower_view

Acima as fotos que tiramos no alto da torre. Super bacana ver a cadeia montanhosa ao fundo e saber que mal tínhamos voltado de Banff e já estávamos morrendo de saudades.

Agora lá do alto também dá para fazer brincadeirinhas assim.

E quem curte esta vista “do chão” vai gostar deste outro observatório de Chicago que é bem mais alto. Contei aqui. calgary_downtown   Ali pertinho da Calgary Tower fica a rua do comércio. Um calçadão super bonitinho e simpático, repleto de lojas e restaurantes. Uma delícia passear por lá.   calgary_centro_canada No verão a rua estava super movimentada e cheia de artistas. Nós passamos lá uma tarde para fazer umas comprinhas e jantar. Eram várias opções de restaurante bares para todos os gostos. Como estávamos morrendo de fome e sem muita paciência para procurar algum lugar, optamos por comer no Earls, uma rede de restaurantes canadenses presente até nos EUA. Como tinham nos indicado a unidade de Banff e não conseguimos ir, fomos neste de Calgary. calgary_erls Petiscos e comidinhas bem gostosos em um ambiente super bonito e agradável. Resumindo, nossa passagem rápida pela cidade foi bem gostosa.

Acho que quem descer lá para seguir até as rochosas, pode separar um dia para conhecer.  

Um dos hotéis que ficamos em Calgary é este aqui. Do lado do aeroporto e excelente custo benefício.  

Já o hotel que ficamos no centro da cidade foi este aqui. Um flat lindinho com cozinha completa, em um prédio moderninho mas que não tem elevador e uma cama que deixou minhas costas doendo por dias. Então fica aí pelo menos a dica da localização. Apesar de que se eu voltasse a ficar no centro da cidade, escolheria algum mais próximo a torre e as ruas de comércio. Este nosso ficava 1 km longe.  

Para quem quer fazer compras na região, Calgary tem vários shoppings grandes mais afastados do centro da Cidade. Vale a pena uma programação antecipada já que na área das montanhas mesmo, só há lojinhas pequenas. .

Veja aqui mais posts sobre Calgary

 

Veja aqui todos os posts sobre Banff e Rochosas

 

Veja aqui todos os posts da nossa viagem pelo Canadá.

 

Veja aqui o post sobre chip de celular pré pago no Canadá